O café da quarentena

Se as memórias da quarentena levarem consigo um sabor, será com certeza o sabor vincado deste café. O Café Dalgona está em alta.

Abril 13, 2020

Nikon D800 | Lente 85mm PC f2.8 | Profoto B1

Texto Jadi Miranda


O café dalgona não passa despercebido. Principalmente a quem é foodie e está trancado em casa a curtir comida via foodporn. E quem vê fotografias deste café também o experimenta. Afinal, quando as coisas que vemos online nos fazem comer com os olhos e, ainda por cima, são super fáceis de fazer, dão-nos uma vontade incrível de as experimentar. E é isso mesmo que milhares de pessoas confinadas em casa estão a fazer – a bater café instantâneo à exaustão para depois se deliciarem na sua cremosidade e beberem-no misturado com leite e pedras de gelo. Os mais criativos estão também a fotografá-lo, filmá-lo e postá-lo. No Instagram existem já mais de duzentos posts com o hashtag #dalgonacoffee e mais de cento e trinta mil com o hashtag, #달고나커피, o equivalente sul-coreano.

 

O refresco de café está por todo o lado. Ou em todas as redes sociais, o que neste momento compõe grande parte do mundo de cada um de nós. À primeira vista, e para quem cresceu a bater café instantâneo com açúcar e uma pinga de água para obter um café rápido e cremoso, é difícil de entender todo o burburinho à volta desta bebida. Não é novidade para os portugueses que batem café em casa há muito tempo e para os italianos que comem “crema de café” como sobremesa com um “expresso” à mistura. Mas para o sul-coreano Jing Il-woo, que o experimentou em Macau durante um programa de televisão, o café foi uma revelação. Parecido com um caramelo típico da Coreia-do-Sul chamado “dalgona”, o café foi logo adorado também pelos seus compatriotas que o assistiam em total deleite enquanto se recordava dos sabores da sua infância. À receita, para este trend gastronómico, juntou-se a quarentena obrigatória que impede os aficionados de café sul-coreanos de irem à rua beber os seus shots de cafeína diários. O resultado é uma bebida viral que já é chamada de café da quarentena.

Para o fazer também em casa, tem que usar café instantâneo, açúcar, água quente, leite e pedras de gelo. Comece por juntar a três colheres de chá de café a mesma quantidade de açúcar e água quente. A seguir prepare-se para exercitar o braço e a mão e bata a mistura até obter um creme espumoso com cor de caramelo. Também pode usar a batedeira mas, nesse caso, use quantidades maiores dos ingredientes e reserve o “creme de café” no frigorifico para usar sempre que quiser durante cerca de uma semana. Atenção, se comer esta maravilha aveludada às colheres, corre o risco de sentir quantidades de energia incompatíveis com o estado de quarentena, por isso, consuma com moderação. Para finalizar, basta despejar cubos de gelo e o seu leite favorito num copo de vidro até um dedo do topo e cobri-lo com o creme de café. Fotografe a bebida por cima de uma superfície que goste e com uma janela de lado e partilhe com o mundo usando o hashtag: #dalgonacoffee.